BAGATTOLI: Em visita ao Vilhena Notícias vilhenense conta como conseguiu atingir mais de 200 mil votos

Jaime criticou deputado federal: “eu sou o representante do Jair em Rondônia, Marcos Rogério só quer pegar carona, como fez no 1º turno”

1530

Em entrevista ao Vilhena Notícias nesta semana Jaime Bagattoli, terceiro mais votado nas eleições do último domingo (7) para ocupar uma das vagas de Rondônia no Senado Federal, declarou que pesquisas eleitorais “falhas” influenciaram para que ele não se elegesse.

Filiado ao PSL de Jair Bolsonaro, Bagattoli acredita que uma parcela de seus 212.077 votos teve como origem sua ligação com o presidenciável, mas foi além, para ele o eleitor se cansou da classe de velhos políticos e quer renovação: “quem conhece a minha biografia votou pelo conhecimento, mas aqueles que não conheciam até então a minha história, votaram por ser o candidato do Bolsonaro em Rondônia. Considero também o fator renovação”, destaca Bagattoli.

Bagattoli tem consciência que o número de votos recebidos o credência para pleitear o cargo de chefe do Executivo nas eleições municipais de 2020. “Tenho consciência disso, mas minha missão neste momento é pensar no agora, precisamos nos engajar nas campanhas do “presidente” Jair [Bolsonaro] e do coronel Marcos Rocha [candidato ao governo de Rondônia]”, frisa Jaime.

Primeira eleição

Disputando pela primeira vez um cargo político e de cara uma vaga ao Senado, Bagattoli desbancou nomes fortes de Rondônia, como o próprio senador Valdir Raupp (MDB-RO) que não se reelegeu, além de Jesualdo Pires, prefeito de Ji-Paraná por duas vezes e, Carlos Magno, que comandou por duas vezes a prefeitura de Ouro Preto D’Oeste. Bagattoli por muito pouco não conseguiu a segunda vaga no Senado, ficando atrás do ex-governador de Rondônia Confúcio Moura (MDB-RO) por apenas 1,36% dos votos válidos.

Criticou Marcos Rogério

Jaime não poupou críticas ao deputado federal Marcos Rogério (DEM-RO): eleito para a 1ª vaga no Senado o parlamentar se antecipou essa semana se anunciou para a imprensa que será o coordenador de campanha, do candidato à presidência da República Jair Bolsonaro, em Rondônia.

Bagattoli vai essa semana ao Rio de Janeiro para reunião com a cúpula do PSL. O objetivo é discutir a campanha neste segundo turno.

“Eu sou o representante do Jair em Rondônia, não há que se falar em Marcos Rogério, ele pegou carona no 1º turno e quer continuar”, finalizou.

Em entrevista ao jornalista Kanitar Oberst, Jaime Bagattoli disse que o foco neste momento é trabalhar para eleger o coronel Marcus Rocha (PSL) como governador de Rondônia e se dedicar à campanha de Jair Bolsonaro, no estado.
Comentários