Bruna Marquezine: “Pessoas precisam entender a beleza de um peito natural”

185

Desde que estreou na tevê ainda na infância, Bruna Marquezine cresceu e se transformou, não apenas fisicamente, diante dos olhos dos fãs.

Com a notoriedade, a atriz se viu diante de um escrutínio intenso do público a respeito de seu corpo, que em setembro chegou a revelar ter lhe causado um distúrbio de imagem. Em conversa com a Universa nesta quarta-feira (6), durante o lançamento da coleção de inverno 2019 da marca Bo.Bô, em São Paulo, ela explicou como enxerga a experiência dura do bullying de internautas e como recobrou sua autoestima.

Para ela, a maneira exaltada com que as pessoas costumam se expressar nas plataformas digitais pode ser tóxica. “É muito preocupante como as pessoas estão agressivas nas redes sociais. Porque se participa de uma pequena parcela da vida do outro e ao mesmo tempo não se está face a face. Isso faz a pessoa sentir à vontade para falar coisas que não diria olhando nos olhos do outro. Começa a ser cruel, e isso tem um peso muito forte.”.

Ela conta como isso impactou sua vida. “A palavra tem o poder de abençoar ou amaldiçoar a vida de alguém. Muita gente não vê a consequência do que fala. Passei por um momento de depressão, que foi potencializado por isso. Numa época era ‘tá gordinha demais’, agora é ‘tá muito magra’. Nunca está bom”, disse.

“Te ameaçam de morte porque não gostam do que você está vestindo”

Bruna acredita ainda que estar sob os ataques das redes sociais cria um ruído, uma distração que dificulta que as pessoas se conheçam e, sobretudo, se amem.

“Você nunca vai agradar todo mundo e as pessoas estão muito agressivas. Não existe limite. Se você está falando de política e a pessoa discorda, ela vai falar da sua vida pessoal, vai tentar te ofender, te machucar. As pessoas te ameaçam de morte porque não gostam do que você está vestindo. Onde é que isso vai parar? A tendência é piorar”, questionou.

“Cada um faz o que quiser com o próprio corpo” Ela ainda disse que a pressão para colocar silicone nos seios já a atingiu, mas que não irá ceder ao que considerou uma intimidação.

“Me falam para emagrecer, botar silicone. As pessoas têm que entender o que é um peito natural; e é bonito. Cada um faz o que quiser com o próprio corpo”, defende.

Bruna ainda revelou que guarda alguns registros dos ataques nas redes sociais, caso haja necessidade de utilizá-los para uma ação judicial no futuro.

“Eu me olho no espelho e me identifico com meu cabelo curto”.

“Eu nunca vou deixar meu cabelo crescer! Eu amo, acho prático. Tem a ver com quem eu sou. Eu me olho no espelho e me identifico com meu cabelo assim. Para um personagem talvez eu tenha que mudar. A caracterização ajuda muito na elaboração de uma personagem. Mas eu, Bruna, tenho cabelo curto”, concluiu.

 

Fonte: Uol

Comentários