Mais dez mulheres vão à polícia contra repórter da Record acusado de assédio, ele nega

7230

Mais dez mulheres decidiram nesta sexta-feira (24) denunciar formalmente o repórter Gérson de Souza, da Record, de assédio sexual. Com as duas vítimas que foram à polícia ontem, já são 12 as mulheres que oficializaram acusação contra o jornalista. A Record teve de utilizar uma van para levá-las a uma delegacia de São Paulo, no início da tarde.

O número de supostas vítimas de Souza, no entanto, pode ser bem maior. Nem todas as mulheres que reclamaram contra ele no departamento de Recursos Humanos da Record decidiram formalizar a denúncia.

Até o fim da tarde de ontem (23), eram 12 o total de reclamações no RH, como informou em primeira mão o Notícias da TV. Hoje, pelo menos mais três mulheres

Mais dez mulheres decidiram nesta sexta-feira (24) denunciar formalmente o repórter Gérson de Souza, da Record, de assédio sexual. Com as duas vítimas que foram à polícia ontem, já são 12 as mulheres que oficializaram acusação contra o jornalista. A Record teve de utilizar uma van para levá-las a uma delegacia de São Paulo, no início da tarde.

O número de supostas vítimas de Souza, no entanto, pode ser bem maior. Nem todas as mulheres que reclamaram contra ele no departamento de Recursos Humanos da Record decidiram formalizar a denúncia.

Até o fim da tarde de ontem (23), eram 12 o total de reclamações no RH, como informou em primeira mão o Notícias da TV. Hoje, pelo menos mais três mulheres relataram comportamento abusivo do profissional, um dos mais experientes da emissora.

Gérson de Souza nega veementemente ter assediado qualquer pessoa. Diz que está sendo vítima de uma revanche (leia mais abaixo). Ele tem recebido o apoio de alguns profissionais da casa –todos homens.

A Record ainda não tomou nenhuma medida drástica contra o repórter, que foi visto na Redação do Domingo Espetacular na manhã desta quinta, mas isso pode ser questão de tempo. O departamento de Comunicação diz que a emissora está investigando as denúncias. A própria emissora tem orientado as mulheres a procurarem a polícia. Além de transporte, fornece assistência jurídica.

Até agora, a maioria dos casos de assédio relatados contra o jornalista é de abordagens verbais, do tipo “você é gostosa”. Em pelo menos um caso, teria ocorrido contato físico, um “beijo roubado”.

As denúncias vieram à tona depois que Souza teve uma discussão com a principal denunciante, uma produtora do Domingo Espetacular. Ela conta que no último dia 8 estava sentada em sua mesa na Redação, na Barra Funda, em São Paulo, quando foi surpreendida pelo repórter.

“Ele chegou por trás e me beijou na boca. Ficou mostrando a língua e saiu dizendo que roubado era mais gostoso. Foi nojento”, disse a vítima ao Notícias da TV. Houve uma discussão, testemunhada por outra jornalista. Após esse episódio, Souza passou a reclamar da qualidade do trabalho da produtora. Ela decidiu então denunciá-lo.

Revanchismo

Souza confirma a discussão com a produtora na Redação do Domingo Espetacular. “Eu reclamei com a chefia da qualidade das pautas dela, era roteiro que não tinha o nome do entrevistado, que não tinha informações”, diz.

“Estou vendo isso como revanchismo. Tenho certeza de que ela está reagindo a uma observação que fiz sobre a qualidade do serviço dela”, sustenta.

O jornalista diz ser “de uma época em que se brincava [com mulheres]”, mas nega que tenha assediado as colegas. “Isso é um grande mal-entendido. Não assediei ninguém.”

 

Comentários