DANIELE NACONECHNY: Maternidade x Carreira

1250

Com intenção de garantir o bem estar dos filhos é fundamental que a mãe cuide de seu próprio bem estar, que envolve além da maternidade, realização profissional, vida amorosa, amizades e lazer.

Você se identifica?

Façamos uma auto analise neste instante: Qual grau de SATISFAÇÃO você dá, para cada área dessas em sua vida atualmente? Intensificar o sentimento de culpa é não se permitir saborear os momentos de pequenas alegrias. Mas neste caso aqui, eis que a culpa se revela como um fardo pesado para de carregar. Afinal, as mulheres são gregárias e reconhecidas pela força que demonstram através do cuidar de seus filhos, maridos, familiares e amigos.

Sabemos que em dias atuais viramos equilibristas para atender a todas essas áreas da nossa vida. E junto a esse ser equilibrista, existe um sentimento de culpa. Isso mesmo culpa. Esse sentimento vem pelo fato de termos que deixar o filho em uma creche, ou deixar com a babá, com a vó. E sentimo-nos divididas sem saber se aquele papel que estamos fazendo é realmente o certo. Mas para começar a aliviar a sobrecarga, gostaria de enfatizar que sentimentos internos de culpas também revelam indivíduos com alta sensibilidade interpessoal.

Pesquisas demonstram que as mulheres ainda são as que mais sofrem com sentimentos internos de culpa. Um dos temas que intensificam este sofrimento é o conflito que emerge quando as mulheres precisam conciliar maternidade e carreira profissional.

É uma atitude nobre se comprometer com a responsabilidade de cuidar de uma vida e se importar com o bem estar dos filhos, então, por favor, lembrem-se de que vocês possuem muitos motivos para se orgulharem de si mesmas e reconheçam o seu valor. A carreira profissional abrange tanto o sustento familiar quanto à realização pessoal. O trabalho se configura como uma oportunidade de desenvolvermos nossas habilidades e de contribuirmos para a sociedade. A fim de garantir o bem estar dos filhos é fundamental que a mãe cuide de seu próprio bem estar, que envolve além da maternidade, realização profissional, vida amorosa, amizades e lazer.

Sem dúvida, equilibrar a demanda destas diferentes modalidades é algo desafiador. Se ocupar com a solução de problemas e ajustamento de eventuais desequilíbrios configura-se como um exercício cotidiano adaptativo e saudável.

Que tal, ao invés de se culpar, se ocupar com o seu processo de realização enquanto ser humano? Quanto mais plena, melhor será a qualidade do tempo que a mãe dedicará ao filho, o que no fim, contribuirá de forma positiva para o seu desenvolvimento.

Refletir sobre nossas ações considerando o seu impacto em relação aos outros e aprender com os erros é um sinal de maturidade. Culparmo-nos excessivamente apenas compromete a nossa qualidade de vida e daqueles que no cercam.

 


Daniele Naconechny é Master Coach e Psicóloga – CRP 20/06984

Atendimento Clinica Saint German

Contato: (69) 99985-2501


 

Comentários