Integrante da Comissão Julgadora do Concurso de Redação da Ameron realiza palestra para os vencedores

210

O jornalista, historiador e ativista Anísio Gorayeb Filho foi responsável por finalizar as atividades culturais com os estudantes vencedores do I Concurso de Redação da Ameron que envolveu os estudantes das escolas públicas de 11 municípios de Rondônia. De forma descontraída e divertida, Anísio contou um pouco da formação e da história de Rondônia e apresentou fotografias antigas da capital, Porto Velho, cidade na qual alguns dos alunos vencedores ainda não conheciam pessoalmente.

“Momentos como esse nos marcam na vida eterna, momento em que os alunos recebem o desafio para escrever um pouco sobre a história da Justiça de Rondônia. Eu fiquei surpreso ao ver um tema sendo tão levado a sério e tão respeitosamente. O mais interessante é que as redações foram feitas de próprio punho, o que é muito bom, pois ninguém colou e os textos foram desenvolvidos em sala de aula”, avalia o professor Anísio Gorayeb que também integrou a Comissão Julgadora do Concurso de Redação da Ameron.

Promovida pela Associação dos Magistrados do Estado de Rondônia (Ameron), o concurso contemplou com retroprojetores, tablets, notebooks, medalhas e certificados os estudantes e escolas da rede pública de cinco municípios de Rondônia, sendo eles: Porto Velho, Espigão do Oeste, Ji-Paraná, Vilhena e Presidente Médici. Entre as finalistas estava a aluna Noêmia Muniz Castro, da Escola Marechal Rondon, de Vilhena. A estudante relata como foi a experiência em ter participado do primeiro concurso. “Achei muito interessante a iniciativa da Ameron e foi uma correria na escola. Ao final, o professor incentivou bastante e foi uma grande conquista. Nós fizemos toda aquela pesquisa sobre cidadania, atuação da Justiça e acho que foi muito importante para todos nós. Saio satisfeita com o resultado e na próxima acho que posso melhorar mais um pouco”, avalia a estudante de 17 anos.

Quem também ocupou a terceira colocação, mas na categoria Ensino Fundamental foi a estudante Heloísa de Oliveira Santos da Escola Teobaldo Ferreira de Espigão do Oeste, a instituição de ensino conseguiu ainda inserir mais seis alunos entre os 50 mais bem pontuados na classificação geral, assegurando a primeira colocação na Categoria Escolas. “Nunca esperei por esse resultado, mas na sala o nosso professor desenvolveu com a gente o assunto e explicando certinho a temática para que tivéssemos uma base de conhecimento. Descobrimos alguns direitos sobre a cidadania e o funcionamento do Sistema Judiciário brasileiro”, rememora a estudante que à exemplo da Noêmia, recebeu uma menção honrosa sendo contemplada com um certificado e medalha.

O I Concurso de Redação da Ameron foi lançado no mês de junho, os alunos tiveram 60 dias para redigir os textos e tendo como temática a “A atuação da Justiça como guardiã dos direitos e na defesa dos direitos da cidadania”. Para o próximo ano, a Ameron planeja novas estratégias para aproximar a magistratura da sociedade estudantil. “Nós temos para o ano que vem um projeto ambicioso junto com a Escola da Magistratura que é trabalhar com a Cartilha da Justiça, prioritariamente nas escolas de Ensino Médio. Com isso levaremos mais amiúde o conhecimento de como é o funcionamento do Judiciário”, ressalta o presidente da Ameron, desembargador Alexandre Miguel.

A primeira edição do Concurso de Redação da Ameron contou com a participação de 134 candidatos, 21 escolas envolvendo 11 municípios de Rondônia. O concurso teve o apoio cultural da Fiero, Sicoob Portocredi, Eucatur, Secretaria Estadual de Educação de Rondônia, Secretaria Municipal de Educação de Porto Velho.

 

Fonte: Assessoria/Ameron

Comentários