Remédio para emagrecer pode ter causado morte de mulher em Chupinguaia

Agricultora passou mal enquanto fazia o jantar.

8575
Alexandra será velada em Alta Floresta do Oeste (RO) — Foto: Facebook/Reprodução

A polícia investiga se um medicamento usado de forma irregular causou a morte da agricultora Alexandra Jorge Rodrigues, de 34 anos, no domingo (17) em Chupinguaia. Segundo o marido, ela estava fazendo um tratamento para emagrecer com um medicamento que comprou sem prescrição médica pelo aplicativo WhatsApp. Moradora da área rural ela passou mal enquanto fazia o jantar e morreu a caminho do hospital.

A notícia sobre a morte suspeita da mulher chegou ao conhecimento da Polícia Militar local através do secretário de Saúde do município, após ele ter sido informado do falecimento.

Em depoimento à polícia, o esposo contou que após o início do tratamento medicamentoso a mulher chegou a perder peso, mas apresentou um quadro de desânimo e fraqueza. Ele alega que pediu para que ela interrompesse o tratamento.

Na residência da família a PM apreendeu um frasco com dentro cinco cápsulas do medicamento X-Life. Conforme o marido, a mulher já havia tomado 40 delas. A Polícia Civil deverá abrir um inquérito para apurar se o remédio provocou a morte. O caso foi registrado na delegacia de Vilhena. O corpo dela passou por necropsia nessa segunda-feira em Vilhena e foi levado para Alta Floresta do Oeste, onde será velado e sepultado. Alexandra Jorge deixa três filhos menores.

Comentários