Vendedor ambulante de 63 anos se revolta com fiscalização da prefeitura; “o trabalhador é perseguido”, diz

Idoso teme perder única fonte de renda.

5425

Em Vilhena, fiscais da prefeitura estão combatendo o comércio irregular. A ação é para valorizar o comércio da cidade, que paga impostos, mas na manhã desta quarta-feira, 12 de setembro, o vendedor ambulante Edimilson José de Andrade, 63, que há 5 meses tem como ponto de venda de seus produtos, a praça do Mensageiro na avenida Paraná, se revoltou ao ser notificado pela Coordenadoria de Fiscalização Tributária Municipal e chamou à reportagem do Vilhena Notícias para registrar sua indignação. Segundo ele, o trabalhador é perseguido.

O idoso não foi multado e não teve os produtos apreendidos, mas ele teme que o as taxas a serem cobradas pela administração municipal inviabilizem sua única atividade comercial e fonte de renda. Ele alega que compra os produtos em São Paulo e em outros estados e que para revendê-los em Vilhena já paga impostos.

A notificação pede para que o ambulante compareça à prefeitura para regularizar sua situação e comece a pagar impostos, previstos na Lei Complementar 256/ 2017 (Novo Código Tributário do Município de Vilhena – CTMV) e ainda na Lei Complementar 258/ 2017 que é o imposto sobre serviços de qualquer natureza, o chamado ISSQN. O trabalhador disse à reportagem que irá até a prefeitura na próxima segunda-feira.

Assista:

Comentários