Em vídeo, moradora do 5ºBEC mostra cor estranha e qualidade duvidosa da água

5040

Marlene Madalena Ribeiro, moradora da rua Maceió no bairro 5º BEC, em Vilhena, reclama da coloração da água que tem chegado às torneiras de sua residência. O problema, segundo ela, já se arrasta há quatro meses. “A água tem cor de ferrugem”, comentou ela.

O caso dela é semelhante ao ocorrido em setembro de 2017, quando uma família do bairro Tancredo Neves passou mais de 30 dias recebendo água com a mesma coloração. Lembre aqui.

Para ela, a qualidade da água deixa muito a desejar pelo preço que paga, R$ 100,00 mensal.

O problema começa a causar sérios transtornos à família que se vê obrigada a aumentar suas despejas, pois, além de pagar mensalmente pela água do SAAE, terá que comprar água potável para o consumo.

O QUE DIZ O SAAE

O Vilhena Notícias procurou o SAAE, serviço responsável pelo abastecimento de água na cidade, e segundo a direção, a água que tem chegado na casa da dona Marlene não oferece risco à saúde humana.

Ainda em resposta, o SAAE explicou que ocorreu a queima de um componente do quadro de comando do poço que abastece o bairro, e com isso, criou-se o que os técnicos definem como “precipitação de ferro”, que deixa a água na cor amarelada e com aspecto de ferrugem. O problema, segundo a autarquia, será resolvido com a perfuração de outro poço artesiano para abastecer a região. O atual, deverá ser inutilizado.

O SAAE não deu uma previsão de quando um novo poço será perfurado na localidade.

Moradora tem usado guardanapo para tentar filtrar a água.

 

Comentários