Ex-professor em Colorado é preso suspeito de matar traficante no Mato Grosso

2230

Três policiais civis e um soldado da Polícia Militar foram presos em uma operação da Polícia Civil nesta quarta-feira (8) nos municípios de Vila Bela da Santíssima Trindade, Campos de Júlio, Cáceres e Várzea Grande, região metropolitana de Cuiabá.

Entre os presos está Denis Roberto Alves dos Santos, que foi professor na Escola Manuel Bandeira de Colorado do Oeste, e deixou o município após ingressar na Polícia Civil do Mato Grosso através de concurso público.

Segundo a Polícia Civil, eles são suspeitos de matarem um traficante que foi flagrado com droga. Jefferson Barrantes foi morto em 2018 na região de Vila bela. Conhecido como Jeffinho, ele era traficante de drogas e fazia o transporte de entorpecentes da Bolívia para a região de fronteira.

Veja o nome dos presos:

Publicidade

Denis Roberto Alves dos Santos (policial civil);

Jean Pereira Rodrigues (policial civil);

Thiago de Campos Arruda (policial civil);

Rodrigo Aguiar de Oliveira (policial militar);

As prisões ocorreram após investigações da Corregedoria da Polícia Civil. Além das prisões foram cumpridos 11 mandados de buscas e apreensão nos municípios.

Foram presos dois investigadores de polícia, um na cidade de Vila da Santíssima Trindade e outro em Campos de Júlio. O terceiro é um escrivão, que foi preso em Várzea Grande. O soldado teve o mandado de prisão cumprido em Vila Bela da Santíssima Trindade.

As investigações são decorrentes de crimes de latrocínio, tráfico de drogas, corrupção passiva e outros, praticados no município de Vila Bela da Santíssima Trindade, locais onde os policiais trabalhavam.

O escrivão de polícia é de Vila Bela, mas estava licenciado e teve o mandado de prisão cumprido em Várzea Grande, na casa do pai dele. No local os policiais apreenderam três armas de fogo e uma munição de fuzil.

Carregamento interceptado

Segundo a denúncia, no final do mês de março de 2018, ao tomar conhecimento sobre suposto transporte de droga, dois policiais civis e o policial militar abordaram um grupo de traficantes com grande quantidade de droga.

Os policiais exigiram o pagamento de R$ 300 mil aos traficantes para que eles não fossem presos.

Os traficantes fizeram o pagamento com cocaína. A droga foi dividida entre os servidores públicos.

Já em abril de 2018, os policiais abordaram outro grupo de traficantes com 330 peças de cocaína. Os policiais entregaram 294 porções de droga na delegacia e ficaram com o restante.

Dias depois houve um desentendimento entre os policiais e o traficante Jeferson, quando ele foi executado com tiros de espingarda.

Armas apreendidas com os policiais presos na operação — Foto: Polícia Civil de Mato Grosso/Assessoria

 

Fonte: G1/MT

 

Comentários