SEDUC garante que alunos não serão prejudicados por interdição de ‘contêineres’

Estruturas instaladas no Perobal e Nova Conquista foram interditadas esta semana pelo Corpo de Bombeiros e 63 alunos do ensino médio estão sem frequentar aula

535

A coordenadora regional da SEDUC em Vilhena, Marizete Rover, garantiu esta quarta-feira (20) que a interdição dos ‘contêineres’ não irá comprometer o ano letivo de alunos do Perobal e de Nova Conquista. Segundo ela, a Secretaria de Estado da Educação já está discutindo com professores e diretores a melhor maneira para a reposição das aula perdidas pelos 63 alunos das duas localidades.

Ao Vilhena Notícias Marizete disse que os engenheiros da SEDUC, em Porto Velho, estão trabalhando a fim de atender as exigências do Corpo de Bombeiros para que as estruturas sejam liberadas o mais rápido possível.

Os ‘contêineres’ estão instalados nas escolas Progresso e Maria Paulina Donadon e eram usados como salas de aula para estudantes da área rural. Na última segunda e terça-feira (19) o Corpo de Bombeiros sob coordenação do tenente Luiz Antônio Bueno Thomaz, do 3º Grupamento, interditou as estruturas alegando “falta de documentação que comprova a qualidade das instalações elétrica e estrutural, além do certificado que atesta a qualidade do material usado na fabricação”.

Em Nova Conquista os bombeiros encontraram fiação elétrica exposta dentro das estruturas, além da ausência de acessibilidade voltada às pessoas com deficiência.

O que motivou a fiscalização

Segundo o Corpo de Bombeiros, após jogadores de base morreram queimados dentro de contêineres que eram usados como dormitórios no C.T., do Flamengo [no Rio de Janeiro], o Ministério Público de Rondônia solicitou e fiscalização de todas os contêineres instalados em diversas cidades do estado pelo Governo Estadual para serem usados como salas de aula. A medida tem como objetivo averiguar se as estruturas podem oferecer risco aos estudantes e professores.

Comentários