Segurança ameaça dar tiro em treinador de time adversário em partida do Sub-20 em Vilhena

"eu vou acabar com você, já tenho oitenta processos, oitenta e um não vai fazer diferença nenhuma; eu vou atirar em você", teria dito o segurança ao treinador

3310
Treinador e seus jogadores procuraram a Polícia Civil para registrar boletim de ocorrência por ameaça

O treinador do Porto Velho Esporte Clube, Luciano da Silva Mattos, e o policial militar aposentado, Grillo, se envolveram em uma confusão durante a partida pela Campeonato Rondoniense Sub-20 entre o time da capital e o Vilhenense Esportivo Clube, neste sábado (10) no estádio Portal da Amazônia, em Vilhena.  O técnico alega que em terminado momento da partida passou a ser hostilizado pelo policial, que estava no campo atuando como segurança particular, com palavras ameaçadoras tais como: “eu vou acabar com você, já tenho oitenta processos, oitenta e um não vai fazer diferença nenhuma; eu vou atirar em você”.

Após a partida, o treinador, acompanhado por seus jogadores, procurou a Polícia Civil e registrou boletim de ocorrência por ameaça. No depoimento, Mattos diz que a discussão se deu porque um filho do policial estava em campo, jogando pelo time da casa. No B.O., o treinador diz que Grillo estava se passando por segurança, já que não havia policiamento no estádio, o que comprometeu a segurança da equipe adversária.

A confusão levou o árbitro do jogo a paralisar a partida e o presidente do time visitante, Jeanderson Melonio Rabelo, acionou o 3º Grupamento da Polícia Militar que enviou policiais para o estádio. Grillo foi expulso de campo pelo juiz e o delegado da partida. O jogo só foi retomado às 19h.

Com a bola rolando o resultou terminou em 1 a 1 e a disputa foi decidida nas penalidades, com vitória de 5 a 4 para o Vilhenese. Mattos diz que a confusão influenciou o resultado do jogo e que a falta de policiamento ostensivo contraria o regulamento da Federação Rondoniense de Futebol.

Comentários