REVALIDA: Grupo de Trabalho conclui análise e sugere prova em duas etapas

Deputada Jaqueline Cassol atua na luta pela validação de diplomas de médicos formados no exterior

545

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) recebeu nesta quarta-feira (17) a informação do Ministério da Educação (MEC) que o Grupo de Trabalho que realiza o diagnóstico do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras – Revalida concluiu o estudo e sugeriu a prova em duas etapas.Revalida Jaqueline Cassol e1563396572165 287x300 - REVALIDA: Grupo de Trabalho conclui análise e sugere prova em duas etapas - jaqueline cassol

O Grupo de Trabalho (GT) foi criado no dia 15 de maio de 2019, através de portaria do Ministério da Educação, e é composto de representantes da Secretaria de Educação Superior (SESU), do INEP, do Conselho Federal de Medicina (CFM), da Secretaria de Educação e Gestão do Trabalho (SGETS/MS) e da Associação Médica Brasileira e da Academia Nacional de Medicina. Juntos, os participantes concluíram que a prova deveria ser realizada em duas etapas, sendo uma prova objetiva e uma de habilidade clínicas. O GT sugeriu ainda que o Revalida seja realizado duas vezes ao ano.

As análises feitas pelo GT estão alinhadas às sugestões que a deputada federal Jaqueline Cassol tem feito ao Governo Federal desde o início do mandato. A parlamentar pede que o Revalida seja realizado duas vezes ao ano, de modo justo e célere. Os pleitos foram apresentados em reuniões com o ministro da educação e com o presidente Jair Bolsonaro (PSL). Jaqueline Cassol defende ainda que a realização periódica do exame trará melhorias para a saúde de todo país. “Esses médicos que estudam fora do Brasil merecem no mínimo uma chance. Ao realizar essa prova com frequência, duas vezes ao ano, vamos aumentar a presença de médicos no país, inclusive nas regiões mais remotas, como na Amazônia”, destacou a parlamentar.

As sugestões feitas pelo GT serão analisadas pelo Mec. Confira a nota:

NOTA MEC
O Grupo de Trabalho instituído em 15 de maio de 2019 pela SESU/MEC, composto de representantes da Secretaria de Educação Superior (SESU), do INEP, do Conselho Federal de Medicina (CFM), da Secretaria de Educação e Gestão do Trabalho (SGETS/MS), da Associação Médica Brasileira e da Academia Nacional de Medicina, efetuou estudo e diagnóstico dos processos de revalidação dos diplomas de medicina no Brasil.
O GT sugeriu a realização do exame em duas etapas (prova objetiva e de habilidades clínicas), sendo realizado pela SESU e com a colaboração do CFM. A proposta é que o exame tenha frequência de até duas vezes ao ano e a possibilidade da forma simplificada de revalidação para escolas estrangeiras acreditadas com parâmetros internacionais de qualidade e normatização da complementação curricular, que poderá ser efetuada por escolas privadas de excelência nas avaliações do MEC.

 

Fonte: Assessoria

Comentários