Maioria na bancada de Rondônia vota favorável à Reforma da Previdência; Mauro Nazif e Expedito Netto são exceções

Sílvia Cristina, do PDT, não havia revelado voto até o momento de se posicionar oficialmente. Partido brizolista pode analisar sua expulsão

675

Não houve grandes surpresas em relação à bancada de Rondônia durante a votação da PEC 06/2019, matéria referente à Reforma da Previdência apresentada pelo governo Jair Bolsonaro (PSL).

Votaram a favor:

Jaqueline Cassol (PP)
Coronel Chrisóstomo (PSL)
Léo Moraes (PODE)
Lúcio Mosquini (MDB)
Sílvia Cristina (PDT)
Mariana Carvalho (PSDB)

Votaram contra:

Dr. Mauro Nazif (PSB)
Expedito Netto (PSD)

Sílvia Cristina, do PDT, não havia revelado voto até o momento de se posicionar oficialmente. Partido brizolista pode analisar sua expulsão

Com quórum de 510 deputados, a reforma foi aprovada em primeiro turno com 379 (eram necessários 308 votos) votos favoráveis a 131 contrários.

Como fica Sílvia Cristina?

Ciro Gomes, vice-presidente do PDT nacional, ameaçou expulsar membros da legenda brizolista caso estes se posicionassem a favor da Reforma da Previdência. De sete a onze parlamentares da sigla trabalhista adiantaram o posicionamento favorável à matéria encaminhada pelo governo, embora o PDT tenha fechado a questão ao voto contrário.

Segundo ele, a medida drástica teria de ser imposta porque o governo autorizou a “compra de votos” através de liberação bilionária de emendas parlamentares.

“Dói, mas o Brasil não pode aceitar mais estas práticas corruptas e fisiológicas!”, disse.

Além de Sílvia Cristina, outros sete representantes do PDT na Câmara dos Deputados votaram a favor da PEC 06/2019. São eles:

Alex Santana (BA), Flávio Nogueira (PI), Gil Cutrim (MA), Jesus Sérgio (AC), Marlon Santos (RS), Subtenente Gonzaga (MG) e Tábata Amaral (SP).

Já o presidente da legenda, o ex-ministro Carlos Lupi, classificou como “nefasta” a proposta de reforma da Previdência e reafirmou a posição do partido contra a medida que foi aprovada em primeiro turno na Câmara dos Deputados.

“Quem quiser o lado dos banqueiros, que vá para o lado de lá. O Trabalhismo Brasileiro, desde Getúlio Vargas, é para defender o trabalhador, o pobre, a classe média”, afirmou Lupi, no Twitter.

A PEC da Reforma da Previdência ainda precisa passar por nova votação na própria Câmara, agora em segundo turno, e ainda à apreciação do Senado Federal para concretizar-se.

 

Fonte: Rondoniadinamica

Comentários