MÁQUINA DE BOLINHAS: Após registrar ocorrência de furto médica reconhece erro e pede desculpas

Falsa acusação se espalhou por grupos de Whatsapp

12120

Um caso curioso, que pode levar uma mulher a responder por denunciação caluniosa, aconteceu na última semana, em Vilhena. O imbróglio teve início quando uma médica da cidade divulgou em grupos de Whatsapp imagens de vídeo onde acusa duas mulheres de furto de uma Vending Machine, as populares máquinas de bolinhas, encontradas em estabelecimentos comerciais.

Na imagem, que se tornou viral nas redes sociais, é possível ver duas mulheres colocando o equipamento em um automóvel. A máquina estava em um mercado no bairro Jardim Primavera.

Mal-entendido

A reportagem apurou que apenas duas pessoas, na cidade, têm as máquinas de bolinhas. Um comerciante e a médica que divulgou as imagens. Ela chegou inclusive a registrar um boletim de ocorrência por furto, na Unisp. O site apurou ainda que, assim como a médica, o comerciante também mantinha uma máquina instalada no mercado e as duas mulheres que aparecem no vídeo, são tias dele, e foram até o comércio buscar o aparelho do sobrinho para recarregá-lo.

A médica teria se confundido, e pensado que fosse sua, a vending machine retirada do comércio. A reportagem não conseguiu falar com ela, para saber o porquê, dela ter divulgado as imagens na internet e registrado o B.O., sem antes ter checado se de fato a máquina era sua.

A falsa acusação chegou ao conhecimento do comerciante quando as imagens começaram a circular no grupo de Whatsapp do bairro, onde ele reside. A compartilhá-las, foi um morador do bairro, que pedia ajuda para encontrar as duas mulheres das imagens. Horas depois, o vizinho removeu a publicação do grupo e pediu desculpas ao comerciante, reconhecendo ter cometido um equívoco ao contribuir para disseminar a falsa acusação. Em uma outra mensagem direcionada ao grupo, ele disse: “foi apenas um ENGANO. Peço desculpas pelo equívoco, e espero que os reais responsáveis pelo erro se pronunciem e peçam desculpas publicamente, assim como eu”.

Após tomar ciência do caso, o comerciante procurou a médica para desfazer o mal-entendido. E o que recebeu dela, foi apenas um pedido de desculpas.

Comentários