Mistério sobre desaparecimento de funileiro completa 25 dias

Ele sairia de Cuiabá para visitar a mãe biológica em Vilhena

3417

O desaparecimento de Thiago Carlos Miranda de Souza completa 25 dias nesta segunda-feira (15). O funileiro de 30 anos, não é visto desde o último dia 20 de junho, quando saiu de casa para ir registrar um boletim de ocorrência em uma delegacia de Cuiabá, no Mato Grosso. Desde então, buscas têm sido feitas e a Polícia Civil mato-grossense investiga o desaparecimento, sem respostas.

Desde os 7 anos de idade Thiago morava com a mãe adotiva, Leni Pereira Ramos, no bairro Jardim Eldorado, na capital do estado vizinho, e estava se preparando para voltar a Vilhena, onde reside sua mãe biológica.

Leni conta que o filho teve problemas de saúde e chegou a ser internado no Pronto-Socorro da Capital. Depois que teve alta, a mãe biológica comprou passagem para ele retornar para Vilhena.

O rapaz é funileiro automotivo, mas estava desempregado à época do desaparecimento. “Ele saiu de casa por volta de 11h para registrar um boletim de ocorrência porque havia perdido os documentos e precisaria do B.O. para viajar”, conta Leni, ressaltando que depois disso não teve mais notícias. Ela frisa que o rapaz sequer chegou à delegacia.

Em entrevista ao Vilhena Notícias nesta segunda-feira, ela revelou que o filho é dependente químico e chegou a ficar um ano preso por roubo. O assalto foi em março de 2017. Thiago e um comparsa renderam um comerciante em Novo Plano, distrito de Chupinguaia, e roubaram dele R$ 34.100,00. Os dois foram presos poucas horas depois pela Polícia Militar. Uma arma de fogo, em poder da dupla, foi apreendida e o dinheiro do assalto foi recuperado.

A família está muito preocupada e apela para quem tiver notícias ou alguma informação sobre o desaparecimento dele entrar em contato pelo telefone 065 8444-3243.

 

Fonte: com informações da Folhamax

Comentários