Com caso de H1N1 já confirmado, procura por vacina ainda é baixa em Vilhena

GRIPE H1N1: “Quem não se vacina está correndo risco”, alerta coordenadora de epidemiologia de Vilhena

6465

A campanha de vacinação contra a gripe teve início em 10 de abril e segue até 31 de maio em todos os postinhos e unidades básicas de saúde de Vilhena. A meta é imunizar 20.510 pessoas.

Grupos prioritários para vacinação:

Crianças de seis meses a menores de seis anos (5 anos, 11 meses e 29 dias); Gestantes (em qualquer idade gestacional); Puérperas (mulheres no período até 45 dias após o parto); Trabalhadores de Saúde; Professores (todos os professores das escolas públicas e privadas); População indígena; Indivíduos com 60 anos ou mais de idade;  Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; População privada de liberdade (detentos) e funcionários do sistema prisional além de pessoas portadoras de doenças crônicas e outras condições clínicas especiais.

Cone Sul tem 1º caso de H1N1 confirmado e epidemiologia faz alerta

Os últimos dados do setor de imunização do município revelam que cerca de 57% do público alvo procurou as unidades para se vacinar. Número é considerado baixo e a coordenadora de epidemiologia, Maria Lima Siqueira Sato alerta para o ‘relaxo’ das pessoas em relação às vacinas, que corre risco de desencadear surto.

Publicidade

Em entrevista ao Vilhena Notícias esta terça-feira (14), Sato relevou que em abril uma criança de 07 anos morreu em Vilhena com problemas respiratórios e, no início deste mês, foi registrado o óbito de uma criança de 05 anos, com as mesmas características, no hospital Regional. Os dois casos foram notificados como suspeita de infecção pelo vírus H1N1. Os resultados devem sair na próxima semana.

A coordenadora confirmou que uma criança de 05 anos, moradora de Cabixi, foi diagnosticada com o subtipo Influenza A H1N1. Ela foi levada para Cacoal para tratamento e passa bem.

O mais recente Boletim de Influenza, divulgado esta semana pela Agência Estadual de Vigilância em Saúde de Rondônia (Agevisa), mostra que o setor de epidemiologia de Vilhena notificou quatro casos suspeitos de H1N1 somente este ano, um deles foi confirmado positivo após análises de amostra, como citado acima. Em Rondônia, 81 casos foram notificados, três são de pessoas de fora do estado. Os casos positivos de infecção pelo vírus chegam a 14 do subtipo A H1N1 e uma do H3N2. BOLETIM INFLUENZA

Resistência de pais em vacinar os filhos preocupa

Um estudo divulgado no último mês de abril pelas faculdades de medicina de São Paulo mostra que 45% das mães e pais temem as reações ou efeitos adversos e outros 32% procuram informações na internet. O resultado preocupa as autoridades do país e o Ministério da Saúde busca por meio de campanhas conscientizar sobre a importância extrema de tomar as vacinas contra várias doenças.

Onde vacinar

  • Posto de Saúde Carlos Roberto Mazala (Setor 19)
  • Posto de Saúde Lírio Hoesel (Cristo Rei)
  • Posto de Saúde Leonardo (Alto Alegre)
  • Posto de Saúde Industrial (Setor Industrial)
  • Posto de Saúde Afonso Mansur (Jardim Eldorado)
  • Posto de Saúde Vitalina Gentil (São José)
Comentários